SEMOP/BH
Diretores da Escola de Minas
Diretores da SEMOP/BH
Agraciados com Medalha da Escola de Minas
Menção Honrosa SEMOP/BH
Livros de Ex-alunos
Quadros da Escola de Minas
Informativos da SEMOP/BH
Nossas Marcas
A Tradição de Ser Ex-Aluno
Palestras Técnicas
Contatos
  SemopBH
A SemopBH, Sociedade dos Ex-Alunos da Escola de Minas de Ouro Preto em Belo Horizonte é um braço da A³EM, Associação dos Antigos Alunos da Escola de Minas de Ouro Preto da UFOP.
 
Mensagem do 32º Presidente da SemopBH 2014 na posse da Diretoria, em 18/12/2013.
 
No almoço da semana anterior, 11/12/13, no Minas II, estava sentado em frente ao nosso "decano" Aloysio de Sá Freire Lima, quando falou-me do aproveitamento dos jovens estudantes da Escola de Minas, que se sobressaíssem como bons alunos, num patamar acima da média dos outros, deveriam ser recrutados para receberem um tratamento diferenciado.
Ai em meio de tantas conversas o assunto mudou e não se falou mais sobre o mesmo, porém, penso que captei onde o Aloysio queria chegar.

 
Links Importantes
 
www.rem.com.br
Revista Escola de Minas
 
www.gorceix.com.br
Fundação Gorceix
 
www.em.ufop.br
Escola de Minas de Ouro Preto
www.museu.em.ufop.br
Museu de Ciência e Técnica
 
Hoje, 17/12/13, voltei a pensar no que o Aloysio havia me dito naquele almoço da semana passada. Meus Amigos, por que não voltamos ao assunto sobre a excelência da Escola de Minas? O tempo passou, a Escola mudou, nós mudamos portanto, os enfoques daquela época, certamente não serão os mesmos de hoje. Se não se acertou em uma ou duas vezes, que se tentou, por que não tentarmos uma terceira, analisando falhas no projeto e/ou de gestão do mesmo?
Por que não se criar outro projeto, proposto agora por um comitê de alto gabarito, por profissionais da Engenharia da Escola de Minas, Minas, Civil, Geologia, Metalurgia, Produção, Ambiental, Controle e Automação, Mecânica e Arquitetura, recrutados entre os Antigos Alunos da nossa querida Escola de Minas?
Esse comitê seria gerenciado por outro profissional de grande experiência (vivência) nas áreas citadas, tudo de uma maneira simples, pé no chão, sem vaidades, de uma forma harmônica, entre os profissionais do aludido projeto, com representantes do corpo docente e discente (um ou dois alunos do grupo selecionados) da Escola de Minas/UFOP e finalmente da Fundação Gorceix, grande benfeitora da nossa querida Escola de Minas.
.Se a Fundação Gorceix é hoje uma grande realidade comandada pelo nosso colega e amigo Presidente Cristovam Paes de Oliveira, poderíamos chamá-la de "braço forte" da Escola de Minas. Pelo que sei da Fundação Gorceix, ela possue em seu quadro de funcionários técnicos e engenheiros de renomada experiência em níveis de excelência, produzindo trabalhos notáveis para grandes firmas nacionais e internacionais, na área de mineração, principalmente para minério de ferro. Isso é praticamente tudo o que precisamos para realizar nosso projeto.
Se os planos econômicos de governo só deram certos depois de três fracassos, alguém acertou numa quarta tentativa como o "Plano Real". Por que não fazer o mesmo após anos ou tentativas negativas? Com o apoio das Semop´s, Escola de Minas/Ufop e da Fundação Gorceix, seguiremos em frente.
O importante é escolher as pessoas certas para os lugares certos, comandada por um executivo conhecedor, como já disse, de todas as áreas ligadas à Escola de Minas/UFOP e à Fundação Gorceix, conhecedor do ambiente e do trâmite processual, nos diferentes setores da área técnica e humana que se interligarão.
Só assim será possível formar um grupo forte, coeso e empreendedor, para fazer a Escola de Minas despontar em níveis de excelência. Vontade não nos faltará, nesta árdua tarefa sem nos esquecer de que, para se ter bons alunos, obviamente, precisamos de bons professores preparados cientificamente, tecnicamente com grande experiência profissional principalmente na área de sua matéria.
Fácil não será mas, também não será impossível, mormente se estivermos embasados neste novo tripé: Escola de Minas/UFOP, Fundação Gorceix e as Semop´s de vários estados, principalmente a de BH. Só assim poderemos sonhar em se ter a excelência na Escola de Minas, o que será muito bom para ela e para UFOP como um todo. O importante, acima de tudo, mesmo que não consigamos transformar este sonho em realidade a curto ou médio prazo é não deixá-lo morrer, insistir e não desistir. Obrigado.
Sebastião Peixoto Toledo, Turma 1956

Pósfacil
No primeiro período de excelência da Escola de Minas, algumas décadas, desde a sua fundação, foi fundamental, como nos disse o colega Márcio Carvalho Ferreira, Turma 1963, o tripé sobre o qual esteve embasada por um bom tempo: Dom Pedro II, Claude Henri Gorceix e Archias Eurípedes da Rocha Medrado, Poli-Rio, 2º Diretor da Escola de Minas.. Em Belo Horizonte, 18 de dezembro de 2013.
Em 17 de dezembro de 2003 realizamos nosso último encontro no Restaurante da SME. Este ano de 2014 comemoramos 10 anos de encontros no Restaurante do Minas Tênis Clube. O tempo passa e nossa tradição de ex-Aluno da Escola de Minas de Ouro Preto-UFOP cresce, são mais de 1.368 encontros semanais desde 1973, uma média de 40 ex-Alunos por quarta feira. Após nosso livro "Escola de Minas. A tradição de ser ex-aluno" lançado em Junho/2009 despertamos uma série de outros como o "Centenário da Escola de Minas" 2º volume em Outubro/2009, também patrocinado pela Fundação Gorceix como foi o nosso, e os belíssimos "A História da Escola de Minas" 1ª Edição em 2012 e a 2ª Edição 2013, em inglês e francês, Editado pela Livraria & Editora Graphar, coordenado pelo Paulo Lemos, e o livro "República de Estudantes" de Eurico Martins de Araújo, Turma 1963. Agora no mês de fevereiro lançaremos, com o apoio do SindiExtra, da Fundação Gorceix e da Fundação Victor Dequech, nosso "I Anais da SemopBH" com os informativos de Nº 1 ao Nº50, de Agosto de 2006 a Novembro de 2010. Tendo um tempo encontre-nos numa das quartas feira no almoço, no Restaurante do Minas II Mangabeiras-BH, um momento de alegria de rever e encontrar amigos.
Onde estiver esteja conosco. "Cum mente et malleo"
Viva a Escola de Minas de Ouro Preto-UFOP!
32ª Diretoria da Semop BH 2012

Colegas Semopianos
Mais um ano se inicia e a SemopBH tem motivos para comemorar no ano anterior tivemos uma excelente presença de ex-Alunos em nossos encontros semanais e nos jantares, e neste estaremos completando 40 anos de existência e para marcar já lançamos nosso calendário que é uma pequena amostra de nosso apego à Escola de Minas .
Nossa tarefa é neste ano conseguir trazer mais ex-alunos ao nossos almoço no Minas II, Mangabeiras. O valor que estava sem alteração passou para R$35,00, não pelo valor mas pelos encontros e bate papos a quarta feira da SemopBH é uma tranqüilidade e local de renovar nossas energias para vida.
Venha participar de um desses encontros faz bem e mantêm nossa tradição emopiana.
E que seja 2013 ano do 137º Aniversário da Escola de Minas e 40º Aniversário da SemopBH cheio de realizações e paz para todos nós.
   
Uma tradição desde 1876. Viva nossa Escola de Minas!
31ª Diretoria da Semop BH 2013

No ano do 136º aniversário da Escola de Minas estamos firme na nossa missão de manter a chama da tradição "cum mente et malleo"
Venha participar de nossos encontros toda quarta feira no Restaurante do Minas II, Mangabeiras-BH, o almoço com bebida, boralina e sobremesa a despesa é fixa e é R$30,00 .
   
Uma tradição desde 1876. Viva nossa Escola de Minas!
30ª Diretoria da Semop BH 2012

Colegas Semopianos
Iniciamos o ano de 2011 com muita vontade de manter acesa a chama de nossa tradição de ser ex-aluno da Escola de Minas de Ouro Preto- UFOP. No ano em que a Escola de Minas comemora seu 135º aniversário.
Também nesse ano reverenciamos o tricentenário de Ouro Preto, a cidade que deu a Escola de Minas a Engenharia do Brasil, como mencionado na Revista O Cruzeiro edição de outubro de 1960, além de dar um mártir, Tiradentes e um gênio da arte, Aleijadinho.
A Semop BH, um braço forte da A3EM acompanha de perto todos os movimentos da Escola de Minas, da Fundação Gorceix, do Museu da Escola de Minas, da Revista da Escola de Minas e de todas as entidades estudantis da Escola: SEE e SICEG, CAEC, SICEM, SEAM, CAECA, CAEPRO, SEMINAS, a Semana Integrada de Engenharia e o Centro Acadêmico em seu 96º Aniversário, de forma a colaborar e sempre manter em destaque essas instituições da casa de Henri Gorceix.
A 29ª Diretoria da Semop BH está empenhada em aumentar a participação e integração de ex-alunos além dos festivos e muito bonitos 12 de outubro
Viva nossa Escola de Minas!
29ª Diretoria da Semop BH 2011
 
Nossa motivação é manter acesa a chama de nossa tradição.
A SemopBH fundada em agosto de 1973 teve seu primeiro livro de presença extraviado e somente a partir de 1979 temos os registros de ex-Alunos nos encontros que ocorrem sempre às quartas feiras, e também não temos os registros entre 1984 e 1986, mas contando todos os encontros comemoramos com festa o Milésimo Encontro e atualmente encontramos na casa do 1.200º Encontro Semanal.
A SemopBH tem nesses últimos anos tido uma presença superior a 1500 ex-Alunos e desde 2007 concede aos ex-Alunos presentes em mais de 24 eventos no ano o Diploma Menção Honrosa da Semop - BH.
Na SemopBH além dos saudáveis encontros da quarta no Restaurante do Minas II, Mangabeiras - BH, desde 2004,com vista para descansar a vista, a partir de 2007 são realizadas uma média de 6 Palestras Técnicas por ano com temas relevantes da Engenharia do Brasil, muitas por ex-Alunos da Escola de Minas.
Desejamos vida longa a Escola de Minas. Viva Escola de Minas.
 

Saudações Emopianas,
28ª Diretoria SemopBH 2010

 
 
SEMOP - BH Prof. Dr. Djalma Guimarães, nasceu 05/11/1895 em Santa Luzia-MG, ex-Aluno da Turma de 1919, criador de teorias e novas idéias no campo da geologia, faleceu em 10/10/1973, publicou mais de 200 trabalhos científicos e em 1968 recebeu o titulo de “Doutor Honoris Causa” da Universidade de Lisboa.
   
  Manifestação:
   
  A Diretoria da SemopBH manifesta sua decepção com o fechamento do Museu de Mineralogia Djalma Guimarães, que encontrava-se na Praça da Liberdade no prédio Rainha da Sucata, projeto do Arquiteto Eólo Maia, filho do Prof. Joaquim Maia, pelo atual Governo de Minas Gerais.
   
  Djalma Guimarães, ex-aluno Turma 1919 que inclui também Israel Pinheiro da Silva, ex-governador de Minas Gerais.

Concomitante ao fechamento do Museu ocorre a inauguração da Cidade Administrativa, obra de 1,5 bilhões de reais, cujos custos serão honrados com os royalties que a CODEMIG (ex-Metamig) recebe da CBMM (Araxá), que explora o pirocloro descoberto por Dr. Djalma Guimarães.

Exemplo de desrespeito a memória, que somente o tempo reparará a um Engenheiro que engrandeceu a Geologia de nosso Brasil.

Todo o acervo mineralógico com belas coleções de minerais encaixotados aguardando um local adequado, um descaso até com a origem do nome de nosso estado de Minas Gerais e nossas riquezas minerais que tanta contribuição econômica oferecem a nosso Estado.

A SemopBH espera que o bom senso oriente os desdobramentos dessa decisão, tanto em relação ao acervo, quanto à memória do Dr. Djalma Guimarães.

Por fim, a SemopBH , se coloca a disposição das autoridades responsáveis, para colaborar na busca de solução compatível com a importância do acervo e do homenageado.
Clique nas imagens para ampliar
SEMOP - BH   SEMOP - BH   SEMOP - BH   SEMOP - BH   SEMOP - BH   SEMOP - BH
Prédio da Escola de Minas na Praça Tiradentes   Departamento Escola de Minas no Morro do Cruzeiro.   A entrada do DEGEO e DEMIN no Morro do Cruzeiro.   O busto de Gorceix no hall da Escola de Minas   Entrada do Departamento de Engenharia no Morro do Cruzeiro.   A casa dos Antigos Alunos.

Volta ao Topo

Número de visitas a esta página

 

Design by Tânia Salgado